Evento fi@Coimbra reúne investidores e mais de 50 startups europeias com ideias inovadoras para melhorar a vida urbana. São projetos capazes de tornar as cidades mais inteligentes, em áreas como a qualidade ambiental, a mobilidade urbana ou a proteção de pessoas e bens. Antecipamos aqui as propostas de quatro empresas portuguesas que vão estar presentes.

 

logo_fi 

 

O fi@Coimbra é organizado no âmbito do programa europeu SOUL-FI, liderado pelo Instituto Pedro Nunes e financiado pela Comissão Europeia, que visa a concretização de projetos inovadores na área das cidades inteligentes e utilizando a tecnologia europeia FIWARE.

 

Esta iniciativa está integrada na Startup Europe Week, inciativa promovida pela Comissão Europeia que reúne mais de 200 cidades e 40 países.

 

O SOUL-FI é uma das 16 aceleradoras europeias de desenvolvimento de soluções com base na plataforma tecnológica FIWARE para as quais a Comissão Europeia disponibilizou 80 milhões de euros em financiamento, no total.

 

Muitasdas empresas inscritas no fi@Coimbra já estão a beneficiar do SOUL-FI, através de financiamento e de serviços de apoio e orientação.

O Instituto Pedro Nunes, em colaboração com a Câmara Municipal de Coimbra, organiza, nos próximos dias 2 e 3 de fevereiro, o evento fi@Coimbra – Boost Cities and Startups with Future Internet. O objetivo é dar a conhecer a investidores e responsáveis municipais 54 startups europeias, das quais 15 portuguesas, que se encontram a desenvolver produtos e serviços inovadores que possam melhorar a vida nas cidades, recorrendo à plataforma tecnológica FIWARE. 

A FIWARE permite a criação e distribuição de aplicações e serviços web em grande escala de forma fácil e a baixo custo. É uma espécie de “nuvem” onde estão disponíveis serviços e aplicações no mesmo formato, permitindo que, por exemplo, uma aplicação desenvolvida para Lisboa possa ser aplicada em toda a Europa.

 

 

O primeiro dia do evento fi@Coimbra realiza-se no Instituto Pedro Nunes e é dedicado à formação e coaching das startups inscritas. No segundo dia, o evento decorre no Pavilhão Centro de Portugal, onde investidores e responsáveis municipais reúnem-se com startups com projetos prontos para serem implementados em áreas como transportes, energia e ambiente, entre outras.                                 

 

 

Esta iniciativa é organizada sob a alçada do SOUL-FI (Startups Optimising Urban Life with Future Internet), um programa europeu de aceleração liderado pelo Instituto Pedro Nunes e financiado pela Comissão Europeia que visa a concretização de projetos inovadores na área das cidades inteligentes e desenvolvimento da Internet do Futuro. 120 empresas europeias já beneficiaram do SOUL-FI, das quais constam 23 empresas portuguesas, perfazendo um total de financiamento angariado em Portugal superior a 1,2 milhões de euros.

 

Quatro projetos para melhorar a vida nas cidades

 

Das 54 inscrições no fi@Coimbra, selecionamos quatro projetos portugueses apoiados pelo SOUL-FI capazes de tornar as cidades mais inteligentes no que respeita à qualidade ambiental, gestão do espaço urbano, eficiência de procedimentos administrativos dos municípios e proteção de pessoas e bens.

 

 

 

  • SOUL: Sensor Observation of Urban Life

 

A Space Layer Tecnologies criou o SOUL, uma aplicação que tem como objetivo emitir avisos (via smartphone e web) em tempo real sobre a qualidade ambiental das cidades. Combinando dados de sensores instalados em transportes públicos com imagens de satélite de observação da Terra, o SOUL obtém uma descrição do ambiente urbano de modo a alertar os cidadãos com problemas respiratórios do perigo de poluição presente em determinadas zonas. De forma a minimizar o impacto dos agentes poluentes na saúde da população, o SOUL emite alertas aos indivíduos de uma forma seletiva em função da doença, permitindo uma ação proativa: toma de medicação, evitar regiões de elevada poluição ou, simplesmente, desmarcar uma reunião caso exista uma previsão de alterações da qualidade do ar nesse local.

 

 

  • SPERO.CITY

 

A Spero desenvolveu a SPERO.CITY, uma ferramenta tecnológica inovadora baseada na web, que permite uma gestão eficaz dos problemas correntes ligados ao espaço urbano público que afetam os cidadãos. Usando uma app, qualquer pessoa, em qualquer lugar, pode fotografar e reportar todo o tipo de anomalias. SperoCity tem ligação às redes sociais o que permite partilhar, validar e quantificar automaticamente a importância social dos reportes. Estes são separados e encaminhados para as organizações responsáveis pela sua resolução, às quais é disponibilizado um backoffice SperoCity que gera alertas e relatórios e prioriza e propõe ações de intervenção otimizadas. O sistema permite ainda às organizações dar feedback aos cidadãos sobre o estado das intervenções.

 

 

  • Viur for Smarter Cities

 

A Viur for Smarter Cities, criada pela Viur, propõe-se melhorar a eficiência dos municípios através de uma plataforma onde pode ser consultada toda a informação relativa a determinados departamentos ou áreas (turismo, mobilidade, saúde ou educação), permitindo saber rapidamente se estão ou não a funcionar. Esta ferramenta permite analisar e gerir de forma simplificada os dados que as entidades produzem, fazendo a gestão dos projetos que estão a ser implementados, sendo fácil para os utilizadores acompanharem o que está ou não a resultar. Por exemplo, com esta plataforma um departamento de turismo poderá criar um painel de indicadores que mostre quantos turistas chegaram à cidade, quais os países de origem e quanto gastaram em média. Com estes indicadores, esse departamento poderá melhor orientar as suas campanhas de marketing, bem como disponibilizar esta informação a todos os agentes turísticos da cidade.

 

 

  • FI-SONIC

 

O projeto FI-Sonic aborda as questões relacionadas com o ambiente sonoro em cidades ou em zonas de perímetro de proteção. O sistema é constituído por uma rede de estações inteligentes de captação, análise e processamento de som interligadas a uma central de supervisão e decisão. A informação sobre os níveis de ruído, localização e identificação de eventos acústicos, nomeadamente acidentes viários, pessoas em aflição e utilização de armas de fogo, pode ser disponibilizada às entidades responsáveis pela governação das cidades e empresas de vigilância privada. Um sistema deste tipo permite agilizar o processo de tomada de ações por parte dos órgãos de supervisão das cidades, proteção civil, polícia e proteção privada dado que a informação ambiental e de ocorrências é apresentada muito rapidamente e de uma forma precisa. Este conceito assegura uma maior eficácia na proteção de pessoas e bens, melhorando a qualidade de vida nas cidades, e aumenta a participação dos cidadãos nos assuntos do seu município, dado que a informação dos resultados de análise do ambiente sonoro pode ser disponibilizada publicamente e o planeamento de ações futuras ser discutido em conjunto com os cidadãos.